quinta-feira, 11 de março de 2010

Rubens Júnior propõe força-tarefa para
combater assaltos a banco no Estado


O deputado estadual Rubens Pereira Júnior (PCdoB) defendeu em pronunciamento na Assembleia Legislativa a criação de uma força tarefa pelo Sistema de Segurança para combater as quadrilhas de assaltos a bancos em municípios maranhenses.
O parlamentar comunista fez referência ao programa Domingo Espetacular da TV Record que apresentou ontem uma reportagem da tentativa de assalto à agência bancária do Bradesco, em Santa Luzia do Paruá. “O Maranhão voltou ao noticiário negativamente”, disse Rubens Júnior.
Com dados de um relatório do Sindicato dos Bancários do Maranhão o deputado Rubens Júnior afirmou que com a tentativa de assalto ao banco em Santa Luzia do Paruá, já são cinco as ações criminosas a bancos no estado neste ano de 2010.

Duas apenas nos dois primeiros dias de março. Na segunda-feira (1º), bandidos assaltaram a agência do Banco da Amazônia em Alto do Parnaíba. Os outros três assaltos aconteceram em janeiro e fevereiro: num mesmo dia, 16 de fevereiro foram assaltadas as agências do Bradesco em Nova Olinda e em Araguanã e um à agência do Banco do Brasil de Coelho Neto, em 11 de janeiro.
“Um levantamento feito pelo Sindicato dos Bancários mostra que em 2009 ocorreram 27 assaltos a banco em todo o Maranhão. Isso significa que no ano passado houve pelo menos dois assaltos a banco por mês no Estado. A média, até agora, se repete, levando em conta a tentativa da semana passada em Santa Luzia do Paruá”, declarou o comunista.
Dessas ocorrências em 2009, foram registrados cinco assaltos a agências do Bradesco, 18 a agências do Banco do Brasil, três a agências do Banco Real e uma do Banco do Nordeste. No balanço de 2009, dois assaltantes morreram, oito pessoas ficaram feridas, 124 foram feitas reféns. Houve, ainda, no ano passado, dois sequestros: um no assalto à agência do Banco do Nordeste de Açailândia e à agência do Bradesco de Caxias.
Dados da Delegacia de Repressão aos Crimes ao Patrimônio da Polícia Federal no Maranhão, apresentados por Rubens Júnior demonstram que as quadrilhas de assaltos a bancos agem em duas frentes no Estado. A primeira, representando 60% dos casos, os grupos invadem os municípios munidos de armamentos pesados, disseminando pânico na população pela maneira violenta de agir.
Os 40% restante é aplicada à modalidade ‘sapatinho’, na qual é feita refém a família do gerente da instituição financeira, enquanto ele é obrigado a abrir o cofre do banco para retirada do dinheiro. Agência Assembléia.

Nenhum comentário: